Desarticulação de punho

Próteses para desarticulação de punho.

Em caso de uma desarticulação de punho, o coto é relativamente longo, além de ser mais largo na região distal.
Estas características específicas possibilitam uma boa adaptação e fixação da prótese, e a parte distal do coto não deve ser corrigida cirurgicamente por razões estéticas.
Para a protetização de desarticulação de punho existem vários sistemas de próteses estéticas e funcionais.



Prótese ativa para desarticulação de punho.

Este tipo de prótese funcional, também chamado de braço ativo, possibilita a protetização da desarticulação de punho, especialmente quando não existem meios para colocação uma prótese mioelétrica.
Em comparação a uma prótese mioelétrica, ela tem vantagem de pesar menos e ser independente de uma fonte de energia.
Por outro lado, o emprego de uma tirante de tração representa uma limitação de movimentos e menor conforto de uso.
A fixação da mão ao encaixe é feita através de um chassi sem rosca, evitando um alongamento excessivo da prótese em relação ao membro não amputado.
Para a colocação de um gancho torna-se necessário um adaptador especial.




Prótese estética para desarticulação.

Este tipo de prótese possibilita a protetização de desarticulações de punho.
Ela é indicada para pacientes que dispensam ou não se adaptam as próteses funcionais.
As características específicas destas próteses são o peso reduzido e o manuseio simples, mas ela possui uma função passiva bastante restrita.
Devido ao alargamento da parte distal do coto, basta utilizar um encaixe de contato para a fixação segura da prótese; Ele deve terminar um pouco abaixo do cotovelo, permitindo um movimento livre de pronosupinação.
A mão é fixada ao encaixe externo, devendo-se evitar um alongamento excessivo da prótese.
Uma luva cosmética reveste a mão interna. Sua forma, cor e estrutura proporcionam um aspecto natural à prótese.




Prótese mioelétrica

Do ponto de vista funcional, a prótese mioelétrica é a mais indicada para desarticulações de punho.
O principal pré-requisito para este tipo de prótese é um potencial suficientemente forte para o controle da mão, que é emitido através da contração muscular.
Devido ao alargamento da parte distal do coto, basta utilizar um encaixe de contato para a fixação da prótese.
Ele termina pouco abaixo do cotovelo, e permite um movimento livre de prono-suspinação. encaixe externo cobre os cabos e eletrodos do sistema mioelétrico, além de receber o acumulador (bateria).
A fixação da mão mioelétrica ou do gancho elétrico (Greifer) ao encaixe é feita através de um anel de laminação.